Excesso de fé

Encheram-se hoje as redes sociais de gente a rezar para que Merkel se magoe a sério. Fico impressionada com tanta gente achar radical e impossível fazer revoluções ou lutas pelo controlo da produção mas acha normal torcer para a Merkel se magoar e deixar o poder porque hoje caiu a fazer ski. Primeiro porque não se derrotam adversários políticos com quedas de ski. A sociedade é felizmente mais complexa – esse estado de luta social terminou algures quando eramos chimpanzés. Segundo, porque o problema do nosso país e da Europa não é a Merkel, é o conjunto da burguesia alemã, portuguesa e europeia que tem feito um banquete com esta crise. Espero não ter como resposta a este pequeno comentário que «burguesia» é um conceito ultrapassado. Porque teria que responder que ultrapassada e demagógica é essa noção de que uma pessoa concentra o poder (e os males e as soluções) de uma sociedade.

PS: burguesia (detentor dos meios de produção) é historicamente um conceito muito mais adequado do que os que são referidos como alternativa, seja o de elites (também as há no movimento operário), empresários (também há pequenos, que são esmagados por estas políticas) ou grande capital (como se o capital fosse grande ou pequeno…).

1531613_608454712560333_72186803_n

Advertisements

About zenuno

http://despauterio.net
This entry was posted in 5dias. Bookmark the permalink.

13 Responses to Excesso de fé

  1. JgMenos says:

    Meios de produção são capital e os seus detentores são capitalistas.
    Burguês é quando muito um estado de alma, que reconhece o capital como condição de liberdade pessoal, e há mais burgueses sem capital do que aqueles que o possuem.

  2. Costa Alves says:

    O conceito de burguesia de Marx não se refere apenas aos detentores dos meios de produção. É redutor e induz em erro. A burguesia existe e dela fazem parte gentalha que não possui qualquer meio de produção. Não se deve confundir a raiz da exploração capitalista (a propriedade privada dos meios de produção) com a tipificação das classes sociais. Exemplo, os senhores dos grandes grupos económicos de especulação financeira são o quê?

  3. Rafael Ortega says:

    O problema (se é que se pode considerar problema) não é a burguesia alemã e europeia. São mesmo os contribuintes alemães e europeus, que não querem queimar dinheiro cá no burgo.

    O que só prova que não são nada parvos.

  4. Cara Raquel, hoje o principal problema já não é a dita malfeitora burguesia, reside antes nos fazedores de política partidária, pois são eles os pilares do actual sistema de governação que convencem o povo que a democracia se exerce no descarregar do voto num partido político (organizações criminosas), são eles, os partidos vazadouro de burgueses e de candidatos a fortunas que do seu interior nos apontam as soluções, falsas, manipuladoras e que mais não visam que manter a forma de organização política tal como está…..

    Não existirá qualquer mudança social e política na Europa enquanto o povo não se libertar do actual modelo de governação exclusivo dos partidos políticos e enquanto o povo se deixar levar na lenga-lenga de gente ligado a partidos políticos…
    Gente essa que de forma directa ou indirecta vive da actividade partidária, a própria Raquel tem acesso a uma boa vida com os artigos que escreve, pois com eles garante um conjunto de leitores de esquerda e extrema esquerda que avidamente consomem as suas opiniões que vende muito bem, quer na edição de artigos de opinião em jornais diários, presença em programas de tv, revistas, lançamento de livros e outros…..

    A Raquel faz um pouco do papel dos sindicatos que no actual contexto são os guardiões do actual sistema de organização política, se não lhes pagarem eles revoltam-se a sério, são chulos e parasitas como os partidos.

    Aliás a CGTP é a ama seca do PCP, O actual modelo de organização política que alberga e protege gatunos tem mais a inteligência e os interesses do PCP que do PSD ou CDS…….

    Ou seja, o método de organização política da nossa CRP é uma obra mais do PCP e PS que de qualquer outro partido, assim, este modelo de mentir, roubar e escravizar foi idealizado pelo PCP, o que ele não esperava era que o povo nunca lhe confiasse a direcção do crime organizado.

    A nossa CRP desenhada e aprovada em 1976 é uma obra quase exclusiva da esquerda com um enorme peso do PCP…
    É evidente que o PCP é a pedra central da sustentação do sistema político!
    No sistema de construção de uma abóbada, há uma pedra chave no topo que fecha, trava e sustém toda a construção do sistema, neste caso da abóbada, é essa pedra central “PCP” que sustem o nosso sistema político.
    Os franceses chamam a essa pedra central, que impede a abóbada de ruir “clé de voûte” traduzido à letra é; chave de tecto!

    O PCP é de facto a chave de sustentação do sistema político, sem o ardil comunista nada do que se está a viver seria possível, o povo já se teria libertado deste sistema de governação!

    O PCP é a “clé de voûte” do sistema político, são os militantes do PC os mais rudes e difíceis de libertar, serão eles os últimos, salvo raras excepções, a disponibilizarem a sua energia para a alternativa ao sistema, são eles sem saberem os pilares de sustentação da ordem estabelecida”…..

    São todos iguais…..

    Antes de 74 havia eleições, todos os homens maiores de 21 anos podiam votar, mas aqueles que não concordavam com o modelo de organização político vigente não votavam….

    Nesse tempo, sempre que havia eleições na proximidade das mesas de voto era colocada comida e bebida à descrição para os eleitores e respectivas famílias, havia ainda musica para alegrar e era ainda dada uma verdinha, nota de 20 escudos a cada eleitor…..

    Porque razão o Salazarismo colocava comida, bebida, bailarico e ainda dava 20 escudos a cada eleitor, não seria para se sentir legitimado cá dentro ” perante a oposição” e lá fora ” perante a critica internacional”…
    Mas para que raio precisava ele dos votos se o regime era de partido único!

    Ora,se tu és um eleitor que defende este modelo de governação — mas que não votaste PSD —, Não tens direito nenhum de reclamar do actual governo; afinal, tu, ao simplesmente, teres votado em alguém (PS, CDS, PCP, BE ou OUTRO), demonstraste concordar com a condição de que irias aceitar os resultados da eleição independentemente de quem fosse o vencedor.

    Votar, seja branco ou nulo legitima o sistema que alberga e protege gatunos, votar numa cor é escolher o metralha.

    Pois, a verdade é que antes vivíamos uma democracia de partido único “FASCISTA” e hoje vivemos uma democracia de vários partidos, se antes se trabalhava de sol a sol por um prato de comida e tecto para dormir, hoje trabalha-se o dia todo e o ordenado não chega para pagar a casa e comprar comida.

    “Demonocracia. Ora o Diabo é um “expert”em mentir, iludir, enganar, é por meio da mentira que se estabelece, a sua finalidade é destruir e matar”…..

    FASCISMO – A elite é dona dos meios de produção e controla o governo para proteger os seus interesses em detrimento do trabalhador.

    Não é isto que acontece?
    É isso mesmo, portugal é hoje governado por um cartel de ditadores associados em diversos partidos políticos.

    Eu não me revejo neste sistema, ou temos um modelo eleitoral de sufrágio universal directo, uma organização do poder político baseado numa Democracia Participativa ou estaremos condenados ás visões partidárias, corporativas e dominadas pela banca, pelas multinacionais, maçonaria, outras organizações ou cegueira ideológicas onde o povo não tem representantes…

    Algum partido quer a democracia participativa?

    Não me parece.
    Para quem pensa e defende o actual sistema de organização política “governação partidária” qualquer mudança de paradigma apresenta-se confusa, seja pela incapacidade de compreender um sistema que rompa com os partidos ou porque os interesses que os mesmos asseguram se perdem numa democracia participativa.

    O SENTIDO DE SOBERANIA POPULAR vertido na nossa Constituição está deturpado, nasceu inclusive deturpado pela forma como a CRP sanciona a organização do poder político.
    O povo que devia ser o elemento principal da Nação “ONDE DEVE RESIDIR A SOBERANIA”, é hoje objecto de explorações e sacrifícios.
    Os usurpadores decidem sobre tudo e sobre todos e o POVO transformou-se num simples instrumento de trabalho garantindo assim as vidas faustosas daqueles que assumiram o poder e usurparam a soberania.

    O direito à democracia “em Portugal” tem sido subtraído por um conjunto de elites traidoras, associadas em partidos que se apossam do direito de decidir sobre tudo e sobre todos os assuntos que ao povo dizem respeito.
    São eles os usurpadores da soberania popular, ao tomarem as decisões em beneficio de grupos, bancos, organizações…….
    Sempre em prejuízo do POVO.

    EU não voto, exijo democracia participativa, SE no dia das legislativas alcançarmos uma abstenção superior a 50% não pode tomar posse a AR nem o governo, se em continuidade sairmos à rua e exigirmos o fim deste modelo de governação e a nomeação de um governo de vontade popular que assegurará uma transição pacifica para uma democracia participativa, mas justa, responsável….

    Eu acredito não cruzarei os braços até à prisão e condenação dos corruptos de Portugal.
    Depois…
    O que realmente importa, é que depois de derrubarmos este sistema, sejamos capazes de adoptar um método ou sistema de decisão que minimize o erro, a fraude e a corrupção e ao mesmo tempo que maximize a soberania popular e a justiça social..

    Não há ninguém intelectualmente superior ao conjunto de saberes que o povo possui.

    Em meu entender a abstenção manifesta uma clara oposição popular a este modelo de governação.

    Nas legislativas junta-te a nós, ajuda a salvar Portugal das garras do crime organizado que se alojou nos partidos e no estado Português.

    ADERE À NOSSA LUTA, NÃO PAGAS QUOTA NEM ELEGES CORRUPTOS. no dia das legislativas faremos a maior manifestação apartidária de sempre, exigiremos o fim deste sistema, somos a maioria.

    CLICA AQUI. http://www.facebook.com/groups/queselixevotar

    • Gustavo Lopes says:

      Torna-se habitual gente que assume uma crítica ao sistema, não é capaz de pensar pela sua própria cabeça e baseia a sua argumentação em mentiras contra o PCP.

      Mas no meio do seu raciocício preguiçoso a pérola é esta “SE no dia das legislativas alcançarmos uma abstenção superior a 50% não pode tomar posse a AR”. Fique sabendo que nas últimas legislativas a abstenção foi de mais de 40% e naturalmente que nas próximas passará os 50%, mas a lei portuguesa nada diz sobre o governo tomar ou não posse com mais de 50% de abstenção (só conta nos referendos minha nossa).

      Mas a abstenção favorece PS/PSD que possuem uma base eleitoral maioritária que irá sempre votar e garantir que o “arco da governação” se mantém.

      O apelo à abstenção, no contexto actual, indica o quê? Como é possível distinguir quem não foi votar por protesto, por ter ido à praia, por ser anarquista, por estar doente, por estar morto e constar nos cadernos eleitorais, por se estar a lixar para isto tudo porque vive bem, entre tantos outros exemplos? É ridículo sinceramente. O mal da abstenção (e daí não concordar nada com essa postura dos anarquistas) é que a abstenção não diz nada… apenas que uma massa grande não vota? qual o significado depois, quais as razões? conheço gente que não vota porque não quer saber da política, outros que o fazem em protesto… onde acaba uns e começam os outros? A abstenção tem vindo a subir e o sistema está-se a lixar para isso… até é do seu agrado.

      Eu nunca votei em branco, nem nunca votarei porque tenho os meus princípios políticos definidos de forma consciente e não são questões pontuais em que estou desacordo que me fazem perder o sentido geral das coisas. Sou comunista, revejo-me no marxismo-leninismo, voto no PCP. Para mim isso é óbvio. Leio o que tenho a ler, venho aqui ouvir opiniões diferentes do partido em que voto, por exemplo a Raquel Varela e outros. Tento perceber as suas ideias, mas também tenho as minhas, respeito toda a gente, menos fascistas encartados, socialistas na gaveta e outros cromos parecidos. Mas quem vota em branco compreendo, vai lá, disse presente, diz que não se revê em nenhum dos candidatos.

      Em Portugal tens partidos fascistas (PNR), fascistas que não gostam que lhe chamem fascistas (CDS), de direita conservadora (psd), de direita liberal (ps), comunistas (pcp), sociais democratas (be), invenções da cia / maoistas (mrpp), troskitas (mas), isto só para falar de alguns. tens muito por onde escolher e intervir politicamente. Se não gostas de nenhuma dessas ideologias, inventa uma e cria um partido.

      Agora faz-me impressão ver gente que se dá ao trabalho de escrever tanto para lançar uma ideia ridícula.

      Fui ao facebook que indicas e está lá isto : “O problema não esta nas ideologias, está no sistema, ganhe aquele que ganhar continua tudo igual.” Pois mas o sistema tem uma ideologia, não te fazia mal estudares um pouco o que é o sistema capitalista, a luta de classes e o que o Marx considerava que era o estado burguês e os seus representantes. Por milagre (não acredito que estejas disposto a pensar) poderias compreender algumas coisas.

      • COMO FAZER CAIR ESTE REGIME E AGIRMOS AO ABRIGO DO ARTIGO 21.º DA CRP.
        DERRUBAR ESTE REGIME, JULGAR OS CORRUPTOS E IMPLEMENTAR UMA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA.

        ARTIGO 21.º CRP

        Com uma abstenção superior a 50% nas legislativas todas as ordens emanadas dos Orgãos de soberania são ilegais, não têm, legitimidade, pelo que o uso da força para repelir o poder político é legitimado pelo artigo 21.º da CRP

        As democracias evoluem e sucumbem quando se tornam injustas, vamos reformular a nossa democracia partidária e implementar uma mais participativa.

        Até Álvaro Cunhal, sabia.. e os seus seguidores, agora.. legitimam isto.. :

        “(..)As eleições são um dos elementos-base de um regime democrático, mas só assim podem ser consideradas se respeitam a igualdade e se são impedidos os abuso do poder, as discriminações e exclusões. Se estas condições não são conseguidas, as eleições tornam-se uma fraude, um grave atentado à democracia e um instrumento da monopolização do poder, por vezes em alternância, pelas forças políticas ao serviço do capital.”(…)
        (Álvaro Cunhal, in “As seis características
        fundamentais de um partido comunista”

        ABSTENÇÃO É (R)EVOLUÇÃO

        CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA PORTUGUESA
        VII REVISÃO CONSTITUCIONAL [2005]

        Artigo 1.º
        República Portuguesa
        Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na VONTADE POPULAR e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária.
        Este artigo está transcrito no integra

        (Ora, o povo fez campanha pela abstenção, pela democracia Participativa, a maioria não votou, saiu à rua, então os órgãos de soberania têm de respeitar a vontade popular, a CRP.

        Se a maioria não votou, exige o fim deste sistema de governação, então numa interpretação correta da CRP, do seu artigo primeiro não pode ser nomeado governo nem tomar posses a Assembleia.

        Caso os políticos não aceitem a mudança e não escutem o povo, o mesmo exigirá que os militares a cumpram e a façam cumprir de acordo com o juramento de bandeiras…..

        A acção do militares apenas sucederá se a classe política quiser tomar o poder contra a vontade do povo, a atitude dos militares não será um golpe de estado e sim uma ação, mais ou menos musculada em defesa do povo, da pátria, da constituição.)

        Artigo 2.º
        Estado de direito democrático
        A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na SOBERANIA POPULAR, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.

        (repare no final do artigo ” aprofundamento da democracia participativa.”), como temos vistos, nunca os políticos tomaram atitudes ou legislaram para que o povo tivesse maior e mais participação na governação do país.
        Portanto, ao apelarmos à abstenção como um meio para alcançar a democracia Participativa estamos a lutar por mais e melhor democracia.

        AINDA “A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na SOBERANIA POPULAR,”
        Assim, como pode ver se a maioria não votou, exige uma mudança de regime…… terá de ser nomeada uma assembleia constituinte….

        MAIS “no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes,”

        Todos temos direito a fazer política e através dela manifestar vontade ou vontades…. é o que fazemos ao apelar à abstenção com o propósito político de derrubar esta democracia representativa e implementar uma democracia participativa.

        Fazer política não se esgota no voto nem são os partidos soberanos da mesma

        Artigo 3.º
        Soberania e legalidade
        1. A soberania, una e indivisível, RESIDE NO POVO, que a exerce segundo as formas previstas na Constituição.
        2. O ESTADO subordina-se à CONSTITUIÇÃO e funda-se na legalidade democrática.
        3. …..

        (“CONSTITUIÇÃO e funda-se na legalidade democrática,” assim, nunca os deputados poderão tomar posse, nem ser nomeado governo, porque o povo é soberano e o estado subordina-se à constituição, o povo fez campanha pela abstenção, a maioria não votou, saiu à rua, quer democracia participativa, o fim desta democracia partidária, na qual não confia os destinos da nação, etc).

        Como pode ver pela própria CPR, caso consigamos uma abstenção superior a 50% e sair à rua em manifestação os órgãos de soberania têm de respeitar a vontade popular, caso o não queiram fazer, os militares são a salvaguarda da constituição e da VONTADE POPULAR.

        Argumentará agora com diferentes interpretações….
        Desengane-se e não engane, não haverá essas diferentes interpretações, até porque os políticos na última revisão constitucional quiseram ser mais papistas que o papa na convicção que a abstenção nunca alcançaria mais de 50% transferiram o valor do voto branco para a abstenção ao equipara-lo ao nulo….
        saiu-lhes o tiro pela culatra….

        Compreendo que para quem não tenha formação jurídica não seja fácil interpretar a constituição, no entanto de forma interessada pode ter outra interpretação.
        Repare que são muitas as decisões reiteradas e confirmadas num tribunal que depois o Tribunal constitucional as anula.

        A parte que vem a seguir ao preâmbulo da CRP é a parte dos princípios fundamentais, caso com uma abstenção superior a 50% o governo tomasse posse bem como os deputados estavam feridos de constitucionalidade a larga maioria desses princípios, isso seria a perfeita aniquilação da democracia, os princípios fundamentais não podem ser violados, entre eles o precipício da equidade e igualdade.

        PARTE I DA CRP
        Direitos e deveres fundamentais
        TÍTULO I
        Princípios gerais
        Artigo 12.º
        Princípio da universalidade
        1. Todos os cidadãos gozam dos direitos e estão sujeitos aos deveres consignados na Constituição.
        2. As pessoas colectivas gozam dos direitos e estão sujeitas aos deveres compatíveis com a sua natureza.

        Artigo 13.º
        Princípio da igualdade
        1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
        2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

        Seriam ou não seriam violados esses artigos caso os políticos insistissem em nomear governo e dar posse aos deputados?
        Onde estava a universalidade, a equidade, igualdade, então uma minoria impunha um modelo a uma maioria?

        Os militares estão cientes de que pode ser necessário intervir?
        cientes, quer dizer, preparados para!

        Esperaremos se defendem o povo e a CRP ou de uma vez por todos sancionam esta democracia cartelizada

        Sobre a igualdade:
        E onde estava a igualdade, então não somos todos iguais, uma minoria era mais igual que a maioria?
        Eu acredito que os militares estejam cientes, muito cientes e a larga maioria desejosos para que consigamos levar o movimento em frente

        Seria o ruir completo da constituição se os órgãos de soberania ignorassem a CRP
        acabava a democracia, teríamos uma ditadura em toda a sua plenitude
        regressávamos ao passado

        POR ÚLTIMO, o direito ao uso da força.

        ARTIGO 21.º DA CRP:
        Artigo 21.º
        Direito de resistência

        Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

        Com uma abstenção superior a 50% nas legislativas todas as ordens emanadas dos Orgãos de soberania são ilegais, não têm, legitimidade, pelo que o uso da força para repelir o poder político é legitimado pelo artigo 21.º da CRP

        Defenda o povo, atualmente votar é estar contra a (r)evolução

        Queremos sufrágio universal directo, que a corrupção e o tráfico de influências sejam crimes constitucionais e imprescritíveis à semelhança dos crimes contra a humanidade….
        Queremos uma Assembleia Constituinte, lutamos pelo direito a votar fora dos partidos, queremos democracia participativa/directa.
        Enquanto não alcançarmos não descansamos…
        Eu não voto, não elejo corruptos.
        OS PARTIDOS JÁ NÃO SERVEM A DEMOCRACIA, SÃO OS CARRASCOS DO POVO:
        O modelo democrático que tem governado o mundo nos últimos cem anos foi assente em partidos, tivemos o torpe comunista ( Ex URSS, CUBA, ECT), o ignóbil nacionalismo ( SALAZAR, MUSSOLINI, HITLER, etc) e actualmente esta democracia partidária que nos faz escravos do salário….
        Modelos de governo assentes em partidos estão esgotados, já não servem a humanidade, o progresso nem combatem a miséria e pobreza que grassa nos nossos lares….

        ABSTENÇÃO É REVOLUÇÃO:

        Não votamos, não votamos não votamos……..

      • A ESQUERDA RADICAL E OS SEUS LACAIOS são na realidade a pedra filosofal do sistema,

        Sindicatos são os guardiões do actual sistema de organização política, se não lhes pagarem eles revoltam-se a sério, são chulos e parasitas como os partidos.

        CGTP a ama seca do PCP

        O actual modelo de organização política que alberga e protege gatunos tem mais a inteligência e os interesses do PCP que do PSD e CDS…….

        Ou seja, o método de organização política da nossa CRP é uma obra mais do PCP que de qualquer outro partido, assim, este modelo de mentir, roubar e escravizar foi idealizado pelo PCP, o que ele não esperava era que o povo nunca lhe confiasse a direcção do crime organizado.

        A nossa CRP desenhada e aprovada em 1976 é uma obra quase exclusiva da esquerda com um enorme peso do PCP…
        É evidente que o PCP é a pedra central da sustentação do sistema político!
        No sistema de construção de uma abóbada, há uma pedra chave no topo que fecha trava e sustém toda a construção do sistema, neste caso da abóbada, é essa pedra central “PCP” que sustem o nosso sistema político.
        Os franceses chamam a essa pedra central, que impede a abóbada de ruir “clé de voûte” traduzido à letra é; chave de tecto!

        O PCP é de facto a chave de sustentação do sistema político, sem o ardil comunista nada do que se está a viver seria possível, o povo já se teria libertado deste sistema de governação!

        O PCP é a “clé de voûte” do sistema político, são os militantes do PC os mais rudes e difíceis de libertar, serão eles os últimos, salvo raras excepções, a disponibilizarem a sua energia para a alternativa ao sistema, são eles sem saberem os pilares de sustentação da ordem estabelecida”…..

        São todos iguais…..

        Abstenção é (r)evolução

        ADERE À NOSSA LUTA, NÃO PAGAS QUOTA NEM ELEGES CORRUPTOS. no dia das legislativas faremos a maior manifestação apartidária de sempre, exigiremos o fim deste sistema, somos a maioria.
        http://www.facebook.com/groups/queselixevotar

      • Gustavo Lopes says:

        Nojo puro, mentem, insistem na mentira, não combatem argumentos… mas o patrão manda bater no PCP… eles batem. Só há um problema é que as pessoas minimamente interessadas em agir, não caem num coisa tão ridícula como o apelo à abstenção e sabes porquê?

        É que uma pessoa minimamente inteligente (só mesmo um bocadinho), sabe que se optar por não ir votar, ninguém vai saber qual a razão para essa tomada de posição. Foi à praia? É anarquista? Faz gostos em páginas fascistas de apelo à abstenção? Estava doente? Está em coma? Já morreu e não está nos cadernos eleitorais? Emigrou?

        Minha nossa, o que o capital inventar para se perpetuar no poder. E tanto lambe botas asqueroso que existe neste país.

        Mais o mais idiota desta gente é que para afirmarem a sua razão (que parte de uma mentira que é dizer que mais de 50% de abstenção vale alguma coisa legalmente – e não estou a emitir opinião sobre isso, estou a constatar um facto) apelam ao artigo 21º da Constituição… para terem direito (e bem) à resistência e depois dizem que a Constituição é obra do PCP e o mal do país.

        E nem sequer são honestos e omitem as revisões constituicionais que deturparam e muito a Constituição. Mas pronto, o patrão manda, os cães de fila partem para a pancada. Nojo puro.

      • Gustavo Lopes says:

        Só mais uma notazinha para quem se deu ao trabalho de ler o artista… reparem como nos seus escritos, a crítica é sempre colada em primazia ao PCP e nunca ao PSD/CDS-PP que por acaso governa o país. É preciso dizer mais? Que cheirinho insuportável a fascista.

  5. Vítor Coimbra says:

    Pois muito bem, concordo com a ideia aqui exprimida no geral. Todavia, não deixa de ser curioso que muitos estadistas enquanto governantes, independentemente de serem de direita ou de esquerda, acabem por influenciar multidões que os apoiam fanaticamente e incondicionalmente.
    A história está cheia de exemplos desses: Estaline, Hitler, Mussolini, Franco, Salazar, e, mais recentemente, Margareth Tacher, Ronald Reagan, Merkel e por aí fora.
    Ora, ainda que eu não me regozije com a má sorte da saúde desses pseudo estadistas, o certo é que por vezes vem mesmo a calhar a morte deles e a facilitar todo o processo de mudanças que se operam nas respectivas sociedades. E que me seja permitido afirmá-lo que não fico com nenhuma pena, pois chega ao fim um negro reinado cujas políticas trouxeram à desgraça, ou ajudaram à desgraça de milhões de seres humanos, com as políticas que sancionaram ao alto capitalismo e sistema financeiro em geral, esquecendo-se naturalmente do povo que votaram neles e que depois acabaram enganados por estes. Neste aspecto, a sua morte ou desaparecimento súbito, acaba sempre por ser positivo, pois acelera todo o processo de substituição dos mesmos, terminando, também o entusiasmo exacerbado dos seus apoiantes. Neste sentido, é bom que assim seja. Claro que seria bem melhor e desejável que fosse tudo processado pelos métodos normais numa democracia de cidadãos livres e de pensamento crítico em relação às obrigações cívicas e interventivas numa democracia mais participativa e directa.
    E sendo assim, não vinha nenhum mal ao mundo que a dita senhora tivesse morrido, bem pelo contrário, ficaríamos, isso sim, mais aliviados. este é que é o ponto.

  6. Surprese says:

    Os “burgueses” portugueses não são os “pequenos empresários”? É que os tais capitalistas, as tais 40 ou 50 famílias mais ricas, são quase aristocratas.

    E espoliar as grandes empresas apenas aproveitará no curtíssimo prazo a quem lá trabalha, que no total não serão sequer 10% dos trabalhadores portugueses. Esses de imediato auto-aumentarão os seus ordenados, e a prazo já sabemos como esse filme termina (PREC).

    E os outros 90%? São os chimpanzés?

  7. Sérgio says:

    Peço perdão pelo off-topic mas este blog não possui um feed?

  8. Kiara Moon says:

    Olá venham ver o meu blogue e deixem um comentário:

    http://kiaram3.blogspot.pt/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s