A situação económica e social… Barbárie deliberada, dissimulação e propaganda

Governo e seus lacaios preparam-se para atirar as culpas da tragédia que provocaram, de forma deliberada, sobre quem resiste à sua política criminosa

16412469_hkooY

A campanha “sinais da retoma“, que incluiu episódios patéticos como o de Portas a inaugurar um relógio ao som de AC/DC, ainda mal começou e já está a ruir… Talvez tenha sido uma auto-ilusão, mas parece-me que para além do delírio havia um objectivo político muito racional. Primeiro faz-se uma campanha de propaganda orquestrada pelos meios e interlocutores conhecidos, cria-se uma ilusão de que a acção governativa até está a ter resultados positivos. No momento em que o falhanço é indisfarçável, atira-se a culpa ao tribunal constitucional e à contestação social que vai obstaculizando algumas das políticas de barbárie defendidas por esta corja.

Exemplo disso mesmo é o actual alinhamento de notícias no Expresso, dão a notícia do chumbo do Constitucional e logo abaixo metem uma peça sobre os juros da dívida. Na verdade, como o texto da “notícia” indica, os juros já estão acima dos 6% há algum tempo. Então porque é que se lembraram que os juros estavam acima de 6% agora? E porque é que colocam essa “notícia” logo ao lado da notícia sobre o chumbo?

Quanto à realidade, por mais que a tentem esconder, ela impõe-se. As notícias da “retoma” não passam de propaganda, um sol enganador.... A verdade é que o BCE já confirmou que vai existir um segundo programa, um programa que vai ter de ser aprovado em todos os parlamentos europeus no rescaldo ou em plena campanha para as europeias de 2014. Um programa que pode muito bem ser um segundo resgate. O FMI já confirmou que o ajustamento vai levar décadas. O recente crescimento pífio foi fruto do aumento do consumo interno, coisa que o actual orçamento vai liquidar. Entretanto a saída pelas exportações atingiu o seu limite. Da Europa o máximo que podemos esperar é a continuação da estagnação. Em Portugal, para o ano, os salários vão continuar a baixar, vai haver mais despedimentos (no privado e no  público, enquanto os boys são promovidos ), a emigração vai continuar e a miséria vai aumentar.

Perante isto a estratégia do governo é a dissimulação. No início ele era o “ir mais além da troika”, ele era “o PS vai seguir a Troika por obrigação, nós seguimos por convicção”, ou o “o programa da Troika é o nosso programa”. Tudo isso foi dito pelo governo de inimigos do povo e traidores à pátria e pelos seus lacaios. Agora inauguram relógios com count down para a saída da Troika… E se bem que o Portas “artista irrevogável” dá nos a imagem destas cambalhotas na sua versão mais exuberante, o facto é que o Passos também vai ensaiando esse discurso de distanciamento em relação à Troika.

1525464_10153624180070296_968978508_n

Mas a dissimulação não se fica por aí. Muito notório na miserável entrevista dada recentemente por Passos  (em que o director da TSF Baldaia comportou-se como um agente de propaganda ao serviço do Passo-Troikismo) foi a tentativa de criar a ideia de que a tragédia social e económica que se vive em Portugal foi obra de forças sobre-naturais e sem rosto, que toda a miséria criada não tem absolutamente nada a ver com a sua acção política. Pois bem, muito pelo contrário! A actual situação económica e social é resultado directo das acções governativas e é uma estratégia seguida de forma deliberada. O objectivo destas políticas era mesmo gerar uma monumental crise para purgar a economia e sociedade consideradas “provincianas”, dos escombros desta “destruição criativa” uma nova “economia cosmopolita” distópica seria erguida.  A fome, a emigração em massa, a redução de salários, as falências, o desemprego, a miséria, o colapso demográfico, a diminuição do rendimento, não foram efeitos indesejáveis de políticas para as quais não havia alternativas. Não, estas políticas foram uma escolha deliberada e a barbárie social é parte integrante do plano deste governo sociopata e é para continuar.

Derrubar este governo, recorrendo a todos os meios ao nosso alcance, é uma condição para a sobrevivência, é o primeiro passo para poderemos sair desta tragédia social. 

1504536_10152175679159047_141732677_n

Advertisements

About zenuno

http://despauterio.net
This entry was posted in 5dias. Bookmark the permalink.

5 Responses to A situação económica e social… Barbárie deliberada, dissimulação e propaganda

  1. Pingback: À pois é | cinco dias

  2. Pingback: A direita sociopata | cinco dias

  3. Pingback: 2013, um ano de luta social em análise | cinco dias

  4. Pingback: Derrubar o Governo na Rua, a prioridade política para 2014 | cinco dias

  5. Pingback: Manif – sexta às 18h em frente à representação do FMI em Lisboa | cinco dias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s