PRT ou de como não se estragaria dois partidos

A ideia parece-me perfeita: PRT – Partido Rui Tavares/Renato Teixeira (cada um o nomeará à sua maneira). Dois empreendedores políticos (saravá Rainha!), germinados (e geminados!) na blogosfera nacional, juntos para unir a esquerda em torno do seu novo partido biunipessoal.
Rotulados por RT’s como o “inimigo fundamental” o programa político fundar-se-á em dois eixos estratégicos:

1) odiar BE
2) odiar PCP

A própria sigla PRT é de um imenso potencial. A possibilidade de “R” se poder confundir com Revolucionário ou Reformista e “T” poder parecer de Trabalhadores para dar a necessária ligação à populaça sem perder o toque trendy de ideologia nebulosa que dá cachet para jornalismo light de Lisboa.
Esta deverá ser uma coligação desunitária e de liderança abicéfala. Renato assumirá a tarefa nacional. Rui ficará com os Negócios Estrangeiros da Europa.

Advertisements

About zenuno

http://despauterio.net
This entry was posted in 5dias and tagged . Bookmark the permalink.

26 Responses to PRT ou de como não se estragaria dois partidos

  1. um anarco-ciclista says:

    ahahahah! Muito bom!
    Claro que, cedo ou tarde, haveria uma cisão…
    Eu sei que é estranho, mas quanto mais os militantes da Rubra escrevem contra o PC, mais me fazem simpatizar com o partido de todas as traições. Já quando foi a cena do “piropo” senti o mesmo com o Bloco… olha! Nem sei o que te diga.

  2. m. says:

    Tiago, desculpe a pergunta: os traidores«todos» do Sr Dr. Álvaro Cunhal que eu, para dizer a verdade, nem li o que se passava, ja não fazem parte deste blogue? Se puder responda-me. s.f.f. Já transmiti do post de João Vilela «Per Si Muove», o que pensava sobre o assunto. Se não puder, fico à espera….

    • m. says:

      O Post afinal é «E contudo ela une-se» de João Vilela.

      Agora: não precisa de editar nada disto como sabe. Corte à vontade. Tenho receio que eles digam o meu nome lá para fora. Se traiem Álvaro Cunhal, também traiem toda a gente que se ponha no caminho para obter os seus fins. Não olham a meios. Muito obrigada.

  3. Argala says:

    Despediste-te há três dias e ainda aqui andas?

  4. João. says:

    A minha opinião, já censurada por Renato e Varela, é que os comunistas devem abandonar o blog deixando os Renatos, Varelas e aliados entregues a si mesmos. Parece-me que está na hora de aparecer na blogosfera um blog de comunistas e aliados dedicados a fazer opisição política e intelectual à direita (deixando o mais possível sem resposta o estrebuchar esquerdista).

    Os comunistas aqui, no 5 Dias, só servem para prestigiar os esquerdistas recebendo em troca nada senão lixo.

    É deixá-los porque já se sabe que nunca irão parar de fazer oposição ao PCP recorrendo mesmo à difamação e calúnia.

    • samuelquedas says:

      Nem mais! Penso-o há bastante tempo!
      Ainda assim, aquilo que mais me agradou neste seu comentário foi a designação “Renato e Varela”!
      Sei lá… fica no ouvido…dito com a pronúncia certa, lembra assim como que uma dupla de música sertaneja…

  5. Nuno Cardoso da Silva says:

    Ainda a “coisa” não levantou voo e já há quem esteja assustado…Mas quem tem medo do Rui Tavares, e porquê?… Talvez não seja pelas qualidades do Rui – que as terá com certeza – mas muito mais pelas fragilidades todos os dias visíveis dos outros… Como o PCP, o BE e outros menores já não convencem quase ninguém, há sempre o risco de uma alternativa ser mais apelativa. Pelo sim, pelo não, o melhor é tentar matar o pinto ainda no ovo…

    • samuelquedas says:

      Sem dúvida! Tenho encontrado vários comunistas que, praticamente, já deixaram de dormir… perante a ameaça de um partido do Tavares! 🙂 🙂 🙂 🙂
      Do BE não faço ideia!

    • João. says:

      LIVRE – um partido meio de esquerda.

      • Nuno Cardoso da Silva says:

        Vamos imaginar por um momento que há um pensamento na base desta rábula. Porquê “meio de esquerda”? Porque se não fizeram genuflexões aos “Santos” da esquerda histórica? Porque não se clamou por uma revolução proletária? Porque se privilegia a vontade da maioria face às minorias, sem no entanto ignorar estas? Porque se rejeita a ideia de vanguardismo e de direitos especiais para os iluminados?… Eu julgava que assim é que se respeitavam os valores de esquerda, mas obviamente há quem continue a pensar que a política se faz impondo pela força a vontade de uns sobre os outros… Lá nos encontraremos no terreno, quando se contarem aqueles que pensam como nós e os que pensam como vós…

      • João. says:

        Conversa copiada do PS. Você já fala como o Francisco Assis – só lhe falta começar a usar a expressão “sentido de responsabilidade” duas vezes por cada frase.

      • Nuno Cardoso da Silva says:

        João, deixa-te de tretas, liga o cérebro e diz porque achas que o projecto Livre é só meio de esquerda.

  6. Surprese says:

    Não ia embora deste blogue?

  7. Miguel Cabrita says:

    O carissímo não terá ainda percebido que a corrosão da esquerda, é fruto da sua própria intransigência ideológica? e Que os seus alvos neste post são apenas um reflexo disso? Há que ser mais pragmático, há vida para além disso, ou Le Pens e Cia Lda agradecem.

  8. samuelquedas says:

    E depois? Já muitos casais saíram assim da indigência. Um a trabalhar lá na estranja, enquanto ela ficava a tomar conta da horta cá na terrinha. 🙂 🙂

  9. JgMenos says:

    Os parâmetros base de uma discussão idiota são dois:
    – Que a revolução dirigida por uma classe operária cescentemente minoritária é uma possibilidade prática.
    – Que após a tomada do poder, o podem manter com um qualquer ‘centralismo democrático’.

    No meio disto tudo estão os proletários bestializados e desamparados por uma vanguarda de pretensos defensores dedicada a masturbações ideológicas, com um olho em cartapácios com mais de um século e outro fixado no umbigo.

  10. Albatroz Jeremias says:

    a luta não é uns contra os outros… a luta é os de baixo contra os de lá de cima…
    dirigentes desses ambos partidos incluidos…
    unamo-nos cá em baixo para derrubar os filhos da puta de lá de cima!!

  11. AM says:

    ah ah proponho um P’R’T como em Toys’R’Us :)))))

  12. João Vilela says:

    Lindo! É isto mesmo! «Unidade, unidade, unidade, dos RTs contra o capital! Camaradas, lutemos unidos porque é nosso o tacho no final!».
    😀

  13. farto de idiotas uteis ou gente como durão barroso says:

    A minha intervenção ‘entelequetualmente’:VÃO PARA O REAL CARALHO QUE VOS FODA!NÃO HÁ PACHORRA PARA IDIOTAS E/OU AGENTES DA CIA!

  14. Nuno Cardoso da Silva says:

    Declaração de interesses:

    Para todos os efeitos declaro que subscrevi o pedido de constituição e legalização do movimento “Livre”, proposto entre outros por Rui Tavares. Para um libertário como eu, um partido que se irá chamar Livre é um bom prenúncio. Na sua declaração de princípios, curta e incisiva, são defendidos os seguintes valores: Liberdade, Igualdade, Solidariedade, Democracia, Socialismo e Ecologia. Nada de novo, dirão. Mas o facto é que ainda nenhum sistema conseguiu conciliar, de forma não fraudulenta, todos esses valores. Por isso vale a pena reafirmá-los e procurar, desta vez, pô-los em prática. Também queria referir que não foram mencionados uma única vez os nomes de figuras históricas como Marx, Engels, Lenine, Trotsky, Mao, Bakunine ou Cunhal. O que não significa menor apreço por algumas reflexões feitas por eles, nomeadamente na crítica ao capitalismo mas também na crítica ao vanguardismo. De uma forma geral foi uma tarde bem passada. Só lamentei a presença da Ana Benavente, mas isso é uma questão minha…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s