Ó Gui: olha se a moda pega!…

t-shirt Nito Alves

Angolano de 17 anos que está preso para lá dos limites legais, a aguardar julgamento por ter imprimido t-shirts que chamam ditador a José Eduardo dos Santos,  entrou em greve de fome.

Notícias que, não imagino porquê, não passam hoje em dia nos media portugueses.

Advertisements

About zenuno

http://despauterio.net
This entry was posted in 5dias. Bookmark the permalink.

9 Responses to Ó Gui: olha se a moda pega!…

  1. comuna guei says:

    esse miúdo vai estar na festa do avante pró ano. not

  2. Argala says:

    É preciso que chovam calhaus na embaixada para que se fale de Angola.

  3. Don Luka says:

    Quem diz que sim, quem diz que não, são os movimentos de libertação, são os movimentos de libertação …

    As revoluções funcionam assim: entram nelas todas as utopias sociais, e no fim triunfam os porcos. A conversa excitada de revolucionários de sofá, muito bem representados aqui no 5 Dias, que procuram vender sabonetes de 1917, não pode fazer mais do que provocar bocejos de indiferença e comiseração em qualquer um que tenha um módico de compreensão de como estas coisas têm sido ao longo dos tempos.

    Os opressores de hoje são os mesmos de há 100 anos e os revolucionários também. Ressequiram. Já nem as moscas lhes pegam.

    A verdadeira, pura e única utopia é a do conhecimento.

  4. Pingback: Novas da democracia (II) – Aventar

  5. De says:

    Um texto que provoca “bocejos de indiferença e comiseração em qualquer um que tenha um módico de compreensão de como estas coisas têm sido ao longo dos tempos”.
    Um paleio velho de séculos.Com a cereja no final do texto a apelar ao conhecimento como a única utopia.
    Ainda por cima virginal e pura..

    Que grande confusão vai aí para confundir o conhecimento com os sonhos lúbricos de alguém em trânsito

  6. imbondeiro says:

    Ele há coisas que me não deixam de espantar: segundo as cabeças bem pensantes (de esquerda ou de direita, tanto faz) aqui do burgo, o governo de Moçambique não serve (é de corruptos), o de Angola é uma “ditadura” (e um ninho de corruptos cleptocratas), o da Guiné-Bissau é um gangue de narcotraficantes ( mas dele, curiosamente, pouco se fala). Das ex-possessões coloniais qual é o “caso de sucesso” de que todos se orgulham? Pois claro, esse Timor-Lorosae tão querido, tão querido, que até importou forças da GNR para manter a ordem e fez o magno favor de adoptar o português como língua oficial (coisa que nos levaria a uma interessante discussão, mas não há tempo para isso…). E lá, estando por trás do pano da governação a diligente e muito competente mãozinha portuguesa, não há corrupção, não há roubalheira, nem há atentados aos Direitos Humanos…
    Não há meio desta boa gente meter no bestunto que Angola é um país INDEPENDENTE e que cabe ao seu povo decidir o seu destino em eleições livres, coisa que, aliás, tem feito. Querem denunciar ditaduras e regimes corruptos? Pois, se não se enganarem nas coordenadas geográficas, estão no país indicado para o fazer: o país que tem tropas no Afeganistão a defender um governo de traficantes de droga e de assassinos fruto de uma invasão ilegal; o país que tem tropas no Kosovo, um país falhado que é o palco de eleição de todos os tráficos e de todas as máfias e onde é melhor ser um cão do que ser-se Sérvio ou de etnia Cigana; o país que apoiou, com entusiasmo, a intervenção da NATO na Líbia, numa parceria com regimes tão democráticos como os da Arábia Saudita, dos EAU ou do Qatar, intervenção essa que foi o prelúdio a uma limpeza étnica. Mas disto nada se fala: Angola está mais à mão como útil objecto para a descarga do impotente fel de gente que se tornou serva num território que, já houve quem o afirmasse, não passa de um “protectorado” da Troika. E, como a História bem no-lo ensina, “protectorado” não passa de um eufemismo para “colónia”.

  7. imbondeiro says:

    E, já agora, alguém tem notícias daquele moço apanhado na Portela com uma bicicleta com um dos pneus cheeinho de droga e cujos protestos de virginal inocência e as acusações de ter sido a “secreta” angolana a tramá-lo fizeram as delícias e deram a deixa para as mais escandalizadas denúncias de uma certa “esquerda” internacionalista-libertária aqui do luso rincão? Pois é… Quem, como diz o povo, “emprenha pelos ouvidos” e temerariamente se lança a perorar sobre realidades complexas, deixando-se candidamente instrumentalizar por subterrâneos interesses de gente muito pouco aconselhável, sem sequer pela rama as conhecer, só comete argoladas. Mas já se sabe: isto de “especialistas” em assuntos angolanos deve ser o ramo de ESPORN (Especialistas em Porra Nenhuma) mais abundante neste país. Se a malta fosse tão hábil a tratar dos assuntos do próprio país como habilíssima é a aconselhar os outros o como e o quando tratar dos dos deles, viveríamos no Paraíso e não neste comatoso rectângulo à beira-merda atolado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s