O Pingo Doce é a expressão mais clara da extrema direita em Portugal

O Aurora Dourada não inventaria um slogan melhor.
Não estará longe o dia em que o cidadão, para ter desconto um desconto Pingo Doce, terá de fazer prova de nacionalidade. É claro que, tudo isto feito a partir da Holanda porque o racismo é muito bonito mas sabe bem ganhar muito dinheiro.

Advertisements

About zenuno

http://despauterio.net
This entry was posted in 5dias. Bookmark the permalink.

14 Responses to O Pingo Doce é a expressão mais clara da extrema direita em Portugal

  1. E o governo também é de extrema direita, e os Marcellos que pululam pela televisão fora…

  2. JgMenos says:

    Gente verdadeiramente bruta.
    O Governo é neoliberal e de extrema direita – dois opostos!
    Um merceeiro de sucesso é de extrema direita.
    Extrema direita como sinónimo de extrema aversão – à atenção dos psicólogos…

  3. Rafael Ortega says:

    Mas ainda estão aziados por o Pingo Doce ter estado cheio no último 1º de Maio, e as marchas da CGTP com a meia dúzia do costume?
    Get over it…

    • De says:

      O desfasamento do Ortega com a realidade é tal que se pergunta qual o motivo de tal alarvidade?
      Andará o Ortega pelas marchas do pingo doce ou seja, será que ele trabalha para o referido grupo?
      O odiozito que ele demonstra pela CGTP resulta do facto de ele reconhecer a referida central como um dos obstáculos à vil governação a que assistimos e como tal, age de acordo com a sua classe?
      Get over it

      Mas deixemo-nos de palavreado e passemos a factos concretos.
      Exemplo:
      Leiam um levantamento de problemas relativo ao Pingo Doce/Grupo Jerónimo Martins realizado pelo CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal), e que tem no seu âmbito a responsabilidade pelo acompanhamento dos trabalhadores deste tipo de superfícies comerciais:

      As violações de regras e normas que mais afectam os trabalhadores, a sua saúde e vida pessoal e familiar são:

      As relacionadas com a organização dos horários de trabalho; as alterações diárias de horário; as mudanças sistemáticas dos dias de descanso semanal; os descansos em dias não consecutivos (seguidos); os descansos que para muitos trabalhadores não coincidem com os sábados e domingos; as alterações de horário impostas consecutivamente pelas chefias, forçando os trabalhadores a assinar o impresso a pedir a alteração para escamotear a imposição da chefia, muitas vezes para encobrir desleixo, falta de organização ou de formação.

      O uso das avaliações e dos correspondentes prémios como «armas de arremesso» ou te sujeitas a fazer o que eu mando, o que eu quero e te calas, ou já sabes…

      A contratação a termo para ocupar postos de trabalho permanentes, para classificar os trabalhadores sucessivamente no nível de Operador Ajudante, o mais baixo da grelha salarial, dispor deles e submeter às violências e arbitrariedades de algumas hierarquias, que nalguns casos, são tão precárias e mal qualificadas quanto as suas vítimas.

      Os salários dos trabalhadores mais antigos e qualificados que estão a ser «apanhados» e ultrapassados pelo salário mínimo dos novos trabalhadores, porque não foram actualizados e se desvalorizaram.

      A colocação de trabalhadores, mais antigos e mais qualificados, a desempenhar por «castigo», funções menos qualificadas e desprestigiantes, exemplo: recolha de carros nos parques, limpeza de espaços nos bares, recolha de louças, etc, … em algumas lojas, para saturar os trabalhadores e os forçar a despedir-se, exemplo: Braga (ex– Feira Nova).

      Deficiente, inferior qualificação profissional de muitos trabalhadores, desempenham funções superiores à categoria e salário que lhe está atribuído, exemplo: trabalhadoras da limpeza a desempenhar as funções de operadores e operadores a desempenhar funções de chefia.

      Estagiários que devem ser operadores e continuam estagiários.

      Refeitórios atulhados de lixo, transformados em arrecadações, vestiários, outros com falta de luz, ventilação, equipamento, higiene e limpeza.

      Corredores e portas de emergência pejados, atafulhados a servir de armazém de retém.

      Casas de banho atafulhadas com pouca limpeza e higiene, avariadas e insuficientes.

      Cacifos pessoais insuficientes, colocados fora do sítio adequado nalguns casos em corredores e refeitórios.

      Como se pode verificar as estruturas sindicais estão muito longe de se preocuparem «apenas» com salários…

      Já agora, leiam a resposta dos recursos humanos do Grupo Jerónimo Martins à solicitação do CESP para o agendamento de uma reunião com vista à apresentação do Caderno Reivindicativo do Pingo Doce:


      Lisboa, 21 de Outubro de 2011

      Exmos. Senhores,


      Acusamos a recepção de carta de V. Exas. datada de 19 de Outubro de 2011 sobre o assunto «Envio de Caderno Reivindicativo».
      Informamos que, não nos será possível reunir com V. Exas. em qualquer das datas propostas.

      Com os melhores cumprimentos,


      Assina:
      (…)
      Direcção Relações Laborais Grupo JM

      http://ocastendo.blogs.sapo.pt/1383721.html

  4. Don Luka says:

    Já ca faltava o maniqueísmo, amigo dos analistas superficiais — não te fica bem, Tiago. O caso Pingo-Doce é um exemplo de prostituição de um conceito — o proxeneta está longe, é rico e não é de esquerda, mas isto são apenas detalhes.

    Queres outro exemplo de prostituição de um conceito? Quando se deu o acidente de Tchernobyl a radiação chegou depressa à Polónia. As pessoas deixaram de consumir vegetais e leite, de entre outros produtos, do seu próprio país. As pessoas deveriam ter sido aconselhadas a não sair de casa (os polacos que me contaram isto já tinham essa informação). Em vez disso foram ameaçadas se não tomassem parte nas festividades doe 1º de Maio. Porque o 1º de Maio foi prostituido para servir de dia de propaganda do partido no poder. Os proxenetas, neste caso, eram quem mandava, não eram de direita, e empunhavam estandartes vermelhos.

    • De says:

      Proxeneta é um bom nome? Para alguns que andam por aí a choramingar por missas a Salazar por alma do seu…nascimento parece que é uma palavra forte.

      As queixas de quem não devia ter saído no 1º de Maio? Mas porquê a não proibição no 1º de Maio e a manutenção das saídas nos restantes dias?
      Porque mais lágrimas pelo 1 de Maio?À maneira polaca ou à boa maneira demagógica das carpideiras sazonais?
      Parece que alguém aqui a prostituir conceitos e ideias.
      Os proxenetas do poder é o que fazem quotidianamente.

      Quanto aos detalhes com que alguém tenta mascarar as coisas, envernizando o patrão do pingo doce com qualificativos como rico e “não é de esquerda”…é melhor ir aprender os tais conceitos e ideias e deixar-se de “maniqueísmos seròdios e manipuladores ao serviço de quem explora.
      Não é difícil

  5. xico says:

    Por essa ordem de ideias, o governo da Venezuela é de extrema direita (os políticos vestem-se na cor da bandeira)

    • De says:

      A ignorância não tem idade nem escolhe locais de passagem.
      A ordem de ideias é bem diversa.

      Se não sabe,informe-se.Pode também ler o que já aí se escreveu

  6. Ché says:

    Quando partidos como o PCP apelam ao nacionalismo nos seus chavões de propaganda e preferências de consumo eles não são racistas.

    Quando o Pingo Doce apela ao nacionalismo nos seus chavões de propaganda e preferências de consumo eles já são racistas.

    Coerência acima de tudo.

    • O PVP apelar ao nacionalismo onde e como?

    • De says:

      Ché vossemecê está a armar-se em tonto ou a fazer de nós parvos?
      Um grupo que se refugia na Holanda como forma de fugir aos impostos que os portugueses que trabalham pagam
      e que depois vem com estas aldrabices de marketing
      é o quê?

      “A família Soares dos Santos passou, no último dia de 2011, o controlo dos 56% que detém na Jerónimo Martins para uma sociedade com sede na Holanda. A operação é puramente cosmética, dado que a propriedade da sociedade holandesa também pertence à família Soares dos Santos, e pretende apenas fugir à tributação em Portugal.

      “Não é a primeira vez que o grupo Jerónimo Martins é notícia por razões fiscais. Em Outubro de 2010, quando se soube que o Orçamento de Estado para 2011 iria alterar o regime fiscal sobre os dividendos recebidos pelas SGPS, esta empresa distribuidora antecipou o pagamento de dividendos para beneficiar de uma taxação mais favorável”

      Coerência acima de tudo como se vê.
      E mais alguma coisa

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s